Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


YAMI - Youth Agribusiness Movement International encerra sua primeira edição e amplifica presença do jovem no agronegócio

A primeira edição do YAMI - Youth Agribusiness Movement International superou as expectativas da organização. O Congresso, realizado nos dias 8 e 9 de outubro, no Transamerica Expo Center em São Paulo, recebeu 300 congressistas que debateram o papel e a missão da nova geração no setor. O evento ocorreu de forma simultânea ao 4º CNMA – Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio.

Com idades entre 18 e 30 anos, os participantes acompanharam apresentações de acadêmicos, empresários e profissionais com orientações acerca dos desafios e transformações do agronegócio nos próximos anos. Ao todo foram promovidas seis palestras e cinco mesas redondas, contabilizando mais de 17 horas de conteúdo, que abordaram temas como: sustentabilidade, tecnologia, novas práticas do agronegócio, sucessão, agricultura urbana, tendências e oportunidades. O evento contou ainda com uma área de exposição de empresas de referência e startups.

“Muitos dos jovens presentes no YAMI têm a missão de continuar o legado de suas famílias. Outros estão entrando agora no setor, mas todos com uma visão atual, trazendo novas ideias e formas de trabalhar. Foi uma verdadeira injeção de ânimo nesse pujante setor. É disso que o agro precisa para continuar se destacando no Brasil e no mundo”, ressalta Renata Camargo, show manager do evento.

A condução do evento ficou por conta de Guto Quirós, cofundador da Quirós Gourmet, que iniciou as plenárias destacando a participação do jovem e a importância do intercâmbio profissional e de conhecimentos do YAMI. “O congresso dá ao jovem o contato com temas de grande relevância para a formação de uma carreia sólida dentro do agronegócio”, afirma.

O diretor do Transamerica Expo Center, Alexandre Marcilio, acredita que o crescimento e a valorização da nova geração têm muito a acrescentar para o desenvolvimento do setor. “Os jovens devem se tornar cada vez mais os grandes protagonistas dos negócios do campo, pois chegam com as energias renovadas, ótimas ideias e abertos para aprender e crescer profissionalmente. Nestes dois dias promovemos neste espaço debates focados em auxiliar os jovens nesta caminhada de desafios que é a vida profissional”, enfatiza.

Revolução das startups

Tema recorrente do YAMI, a transformação tecnológica já é realidade no agronegócio brasileiro. Atualmente, estima-se que o Brasil possui mais de 800 pequenas empresas dedicadas a oferecer soluções em tecnologia e financeiras ao agro. De acordo com dados de universidades, centros de pesquisa e do Ministério da Agricultura, cerca de 70% delas estão no Sudeste do país. A maioria se dedica à tecnologia da informação, sistemas de gestão de fazendas, plataformas de marketplace e vendas, biotecnologia, alimentos e fertilizantes, focando em levar ao campo ferramentas que auxiliem na resolução dos gargalos do setor.

“Esse movimento também atrai para o setor novos profissionais, como os jovens, que visualizam nas startups uma oportunidade de aplicar no campo as tecnologias desenvolvidas nas universidades”, complementou Renata Camargo.

A temática também foi debatida na mesa redonda “De Startups a Starwinners”. “O agronegócio, por si só, é uma atividade que se baseia em intuição e experiência, dois fatores que normalmente estão muito ligados à idade e é uma questão que, muitas vezes, barra a entrada de jovens ao negócio”, destacou o CEO da Aegro, Pedro Dusso.

Para Dusso, o YAMI deu oportunidade para os jovens interagirem com a tecnologia e sua aplicação no campo. “Foi possível oferecer a essa nova geração argumentos para ingressarem no setor e também para a aplicação dessas inovações nas fazendas, com exemplos reais e de sucesso”.

Compromisso com o setor

Instigando a reflexão sobre a importância do jovem no agronegócio, o YAMI também englobou temas como sustentabilidade. A presença de Mariana Calêncio, embaixadora brasileira do programa Thought For Food (TFF) para São Paulo, levou aos congressistas um debate sobre o papel do jovem no desenvolvimento de um agro mundial mais consciente, sustentável e responsável.

“Estamos exatamente no momento de empoderar cada vez mais os jovens. O Congresso vem para dar mais força à revolução que temos de fazer no Brasil e no mundo”, explicou Mariana.

Data de Publicação: 16/10/2019 às 08:20hs
Fonte: Attuale Comunicação
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: