Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Suécia quer usar bioplásticos a partir de resíduos de frutas

Uma pesquisa da Universidade de Borås, na Suécia, produz bioplásticos a partir de resíduos alimentares e itens descartáveis que são ecologicamente corretos. A pesquisa faz parte dos inúmeros projetos que, nos últimos anos, buscam um substituto ecológico e funcional para os plásticos tradicionais.

No projeto atual, o que seria considerado como desperdício de maçãs e laranjas é transformado em copos e talheres que podem ser compostados ou mesmo consumidos após o uso. A substituição de todas as garrafas PET por embalagens de vidro, por exemplo, significaria produtos mais caros, pesados e frágeis, cujo transporte teria um impacto maior.

Para encontrar o equilíbrio certo entre sustentabilidade e eficiência, a indústria está explorando materiais alternativos com baixo impacto ambiental. Segundo Veronika Bátori, pesquisadora da Universidade da Suécia, isso significava pesquisar o potencial do desperdício de alimentos, em particular resíduos de laranja e maçã.

"Ambos contêm muita água e matéria orgânica e, se jogados em um aterro, liberam grandes quantidades de metano. Eles também são difíceis de queimar por causa de seu teor de água e não funcionam tão bem quanto a ração por causa de seus altos níveis de açúcar e baixo pH ", comenta a pesquisadora.

O projeto e a tese de doutorado testaram dois métodos diferentes de produção de bioplásticos. O primeiro é chamado de fundição em solução, que é uma solução de polímero, em um solvente adequado, é literalmente vertida em uma camada fina em uma esteira que funciona em um forno. O filme resultante pode ser usado para embalar alimentos ou tornar-se um saco para alimentos caseiros molhados.

Com o segundo método, Bátori criou vidros e cutelaria a partir da massa orgânica residual por meio de moldagem por compressão, sendo que, uma vez utilizados, os pratos podem ser transformados em composto ou mesmo consumidos.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 02/04/2019 às 12:40hs
Fonte: Agrolink
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: