Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


Paraná de olho no peixe: International Fish Congress expõe potencial do pescado brasileiro

Cada vez mais o Brasil se abre para o potencial da piscicultura. Um exemplo é o Plano Safra (Plano Agrícola e Pecuário) 2019/20, lançado no dia 13 de junho, contemplando o setor de aquicultura e pesca. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, ressaltou que “pela primeira vez no Plano Safra o setor será contemplado”. Conforme o secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Junior, trata-se de uma importante atividade que agora tem privilégio no Ministério. Ainda em junho foi lançada a Frente Parlamentar em Defesa do Pescado. Durante o lançamento em Brasília (DF), Seif afirmou que o governo trabalha para o Brasil deixar de ser um importador de pescados. “O Brasil tem todas as condições de se tornar um grande produtor e consumidor desse tipo de proteína”.

Um meio a esta onda favorável ao Brasil sedia evento um internacional inédito - o International Fish Congress e Fish Expo Brasil entre os dias 17 e 19 de setembro em Foz do Iguaçu, no Paraná. O IFC Brasil abre as portas para discussões importantes e urgentes no desenvolvimento da piscicultura e aquicultura nacional. Além do congresso com importantes palestrantes nacionais e internacionais, o IFC reúne apresentação de trabalhos científicos, feira e rodadas de negócios.

O evento que vai reunir todos os elos da cadeia de pescados em um só lugar tem à frente da programação e temas o ex-ministro da Pesca e consultor Altemir Gregolin “O International Fish Congress foi concebido para atender a demanda de um mercado que cresce globalmente. E neste contexto o Brasil é um dos países com o maior potencial de produção de pescados do mundo. Com esse cenário o Brasil pode transformar o pescado em alimento de consumo popular e fazer do país um grande exportador, gerando bilhões de dólares em divisas como já faz com o frango, suíno e bovino. Tenho absoluta convicção de que, pelas condições naturais que tem, a produção de pescado para o Brasil se constitui na mais nova e promissora fronteira de produção de alimentos”.

O evento será realizado no Paraná, maior produtor de tilápia do Brasil e que registra uma previsão de crescimento acima de 20% em 2019. Com o apoio do Governo do Estado, o evento tem como incentivador o Governador Carlos Roberto Massa Júnior que destaca a expectativa de atingir a marca de 170 mil toneladas de carne de peixe paranaense, incremento que vem sendo alavancado pela tilápia, que representa 80% do volume total do Estado.

Os estados líderes em produção de tilápias são Paraná (123 mil toneladas), São Paulo (69.500 t.), Santa Catarina (33.800 t.), Minas Gerais (31.500 t.) e Bahia (24.600 t.), que juntos produzem cerca de 70% de toda tilápia nacional. O Oeste do estado é o maior polo de criação de peixes no Estado, representando 69% de toda a produção, com atuação em 48 municípios, próximos a Toledo e Cascavel.

A Diretora Executiva do IFC Eliana Panty destaca ainda que o Brasil tem a maior reserva de água doce do mundo. Possui 10 milhões de há de lâmina d’água represadas, uma costa marítima de 8,4 mil km de extensão, espécies nobres, clima favorável, matéria-prima em abundância para rações e aditivos. “O ambiente é favorável para isso. Segundo a FAO, o pescado é a proteína animal mais consumida no mundo, representando 35% do total. E é o principal item da pauta de exportações mundiais com 60% das proteínas animais exportadas”.

Condições ideais

Mesmo sendo o maior detentor de recursos hídricos do mundo, o Brasil é o 13º país do mundo em produção de pesca, importando grande parte da proteína consumida no país. Em 2018, a produção brasileira de pescados cresceu 4,5% em relação a 2017, de acordo com dados da Associação Brasileira de Piscicultura (PeixeBr). Foram 722,560 mil toneladas. O faturamento foi de R$ 5,067 bilhões.

O principal produto da piscicultura nacional é a tilápia, da qual o Brasil é o quarto maior produtor mundial, atrás de China, Egito e Indonésia. Em 2018, a produção dessa espécie totalizou 400,280 mil toneladas, 11,9% a mais que em 2017.

Sobre o International Fish Congress

Com o lema “Das águas ao consumo” o evento tem o apoio das principais entidades do setor ABIPESCA – Associação Brasileira da Indústria da Pesca, PEIXEBR - Associação Brasileira da Piscicultura, SINDIPI – Sindicado dos Armadores e Indústria da Pesca, ABRAPES – Associação Brasileira de Fomento ao Pescado e ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal,CNA/SENAR e ABRAS – Associação Brasileira de Supermercadistas.

As discussões têm o apoio da FAO - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação e MAPA através da Secretaria da Aquicultura e Pesca. Entre os apoiadores estão ainda BRDE – BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, Fundação Terra, Governo do Estado do Paraná, ADAPAR e EMATER. O evento tem ainda o apoio científico da UNILA, UNIOESTE, UFFS, UNIVALI e Instituto Federal Paraná Campus Foz do Iguaçu e Copacol.

Saiba mais

Data de Publicação: 10/07/2019 às 13:40hs
Fonte: MB Comunicação Empresarial/Organizacional
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: