Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


Medidores e um sistema automático de monitoramento de umidade de grãos são apresentados em VI Simpósio Matogrossense de Pós-colheita de grãos

Os medidores G1000 e G2000, unidos ao G8000 que é um novo sistema de monitoramento contínuo de umidade e temperatura de grãos em movimento em processos de secagem, desenvolvido pela Gehaka e projetado exclusivamente para uso agrícola, hoje, formam uma evolução no processo, com exata mensuração, mesmo frente a interferências como temperatura, peso da amostra, tipo e densidade. Por esses motivos, a empresa apresentará sua linha no VI Simpósio Matogrossense de Pós-colheita de Grãos.

A atual inovação do G8000 tem o intuito de garantir o máximo rendimento do processo e um produto final de alta qualidade, por meio do processamento contínuo e ininterrupto do fornecimento de dados de umidade e temperatura dos grãos.

“Agora, através da automação, o responsável sabe com antecedência em que nível está a umidade dos grãos e aonde se pretende chegar. Assim, se torna mais fácil para a tomada decisões, além de ser mais rápido e com menores chances de erros”, explica Alexandre Fernandes, diretor de engenharia da Gehaka.

Seu funcionamento acontece ao retirar a amostra dos grãos, depois medir o teor de água e por fim devolver o produto para o fluxo automaticamente, onde está integrado. Ele pode, ainda, transmitir até a cada três minutos uma leitura da umidade para o sistema que controla o processo por inteiro. A solução dispõe de medidor, câmara de medida, coletor automático da amostra, sistema de alarme, acionamentos e controlador lógico programável - CLP, entre outros componentes.

Com a alta precisão, evita-se que seja feita a forma manual de inserções de dados, o que diminui a chances de haver erro por parte dos operadores. Se por uma razão qualquer, um funcionário hipoteticamente secar os grãos para teores menores que 14%, haverá um prejuízo direto devido à perda excessiva de água e massa.

O retorno do investimento no G8000 é estimado em menos de duas safras, se forem considerados os custos dos profissionais dedicados apenas para esse fim e a economia em energia e o acompanhamento do rendimento do secador. Mas de acordo com Fernandes, é preciso avaliar neste contexto o que efetivamente se deixa de perder com este avanço.

A tecnologia, incorporada no conceito da Indústria 4.0, oferece ainda a possibilidade de automação total e o usuário tem muito mais confiança e integração com os dados em mãos. Alguns usuários já estão desenvolvendo em testes essa nova solução com blockchain, transferindo os dados para a Internet, a fim de guardar os registros das medições permanentemente, tornando-os rastreáveis.

Com características singulares e, por enquanto, o único no Brasil, suas curvas de calibração são as mesmas dos instrumentos aprovadas pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Com sua chegada os processos de secagem ficarão bem mais seguros, eficientes e poderão ser totalmente automatizados.

Além do sistema G8000, também serão expostos os medidores de bancada G1000 e G2000, que garantem ao produtor e ao comprador que a mercadoria seja entregue dentro das especificações da lei. Aprovados pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), são instrumentos medidores de umidade de grãos para uso em transações comerciais.

O G2000 que apresenta melhorias e avanços tecnológicos, é fácil de operar e fornece a leitura da umidade em poucos segundos, com alta precisão e repetitividade. Além disso, não exige treinamentos complexos para os operadores, emite relatórios a cada medida por meio de uma impressora acoplada e conta com a tecnologia IoT.

De acordo com Christian Kaufmann, diretor comercial, hoje, para uso em transações comerciais de grãos, só podem ser comercializados medidores aprovados pelo Inmetro, atendendo ao regulamento técnico metrológico da Portaria Inmetro nº 402/2013, e os medidores Gehaka modelos G1000 e G2000 são aprovados e enviados com identificação e selo do Inmetro, além de possuírem o certificado de verificação rastreável, assinado pelo agente metrológico do Ipem - SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo).

O VI Simpósio Matogrossense de Pós-colheita de grãos, que acontece de 10 a 12 de setembro, em Sorriso, Mato Grosso, é organizado pela Abrapos (Associação Brasileira de Pós-colheita) e tem como tema central a logística e qualidade de grãos na armazenagem.

Data de Publicação: 05/09/2019 às 15:00hs
Fonte: Vervi Assessoria
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: