Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


Fixação biológica de nitrogênio reduz dependência

A fixação biológica de nitrogênio reduz a dependência de fertilizantes, segundo a Sociedade Americana de Fitopatologia (APS). O estudo indicou que o rendimento das culturas aumentou substancialmente nas últimas décadas, ocorrendo juntamente com o crescente uso de fertilizantes nitrogenados.

“Embora o fertilizante nitrogenado beneficie o crescimento das culturas, ele tem efeitos negativos no meio ambiente e no clima, pois requer uma grande quantidade de energia para produzir. Muitos cientistas estão procurando maneiras de desenvolver práticas mais sustentáveis que mantenham altos rendimentos das colheitas com insumos reduzidos”, comenta a Sociedade.

De acordo com o patologista de plantas Gary Stacey, da Universidade do Missouri, “uma maneira mais sustentável de fornecer nitrogênio para as culturas seria através do uso de fixação biológica de nitrogênio, uma prática bem desenvolvida para as leguminosas". "Uma variedade de bactérias fixadoras de nitrogênio é comum na rizosfera da maioria das plantas. No entanto, essas bactérias promotoras de crescimento de plantas (PGPB) só têm uso limitado como inoculantes na agricultura”, completa.

Stacey e seus colegas acreditam que esse uso limitado se deve aos problemas gerais associados ao uso de produtos biológicos para a produção agrícola e à eficácia variável após a aplicação. Eles conduziram pesquisas para obter uma maior compreensão da resposta metabólica do hospedeiro da planta, a fim de reduzir a variabilidade observada com a resposta das culturas ao PGPB.

"Um desafio de nossa pesquisa é que, embora o PGPB possa colonizar raízes em altos níveis, os locais de colonização podem ser altamente localizados", disse Stacey. "Portanto, isolar raízes inteiras resulta em uma diluição considerável de qualquer sinal devido à grande maioria das células radiculares que não estão em contato com a bactéria", completa.

Data de Publicação: 01/04/2020 às 13:40hs
Fonte: Agrolink
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: