Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


DATAGRO reduz safra 2019/20 de soja do Brasil para 121,92 mi t e eleva a de milho para 101,93 mi t

A safra 2019/20 de soja do Brasil teve redução no sexto levantamento da Consultoria DATAGRO, para 121,92 milhões de toneladas, com a colheita já ultrapassando os dois terços da área semeada em todo o país. Por outro lado, a produção de milho teve projeção de produção elevada nesta temporada, totalizando 101,93 milhões de t na estimativa deste mês de abril nas duas safras do país.

A produção potencial de 121,92 milhões de t da oleaginosa nesta safra, ante 123,62 milhões de t do levamento anterior, representa uma alta de 2% sobre a safra passada de 119,19 milhões de t. Porém, passou a ficar abaixo do recorde de 2017/18 de 122,30 milhões de t. A área plantada ficou em 36,94 milhões de hectares neste ano e a produtividade média em 3.306 kg/ha ante 3.340 kg/ha na estimativa anterior.

O sexto levantamento para a safra brasileira 2019/20 de soja foi feito com a colheita atingindo 80% no último dia 27, bem acima da média normal de 72%.

“O clima na temporada foi um pouco melhor que na safra passada, com ganho na produtividade média em 9 dos 15 principais estados produtores. Neste relatório houve melhora em boa parte desses estados. Mas com correção mais do que proporcional para baixo na média do país, em função dos cortes no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, com perdas elevadas em função da escassez de chuvas”, explica Flávio Roberto de França Junior, coordenador da DATAGRO Grãos.

A safra 2019/20 de milho no Brasil teve revisão altista de produção e área pela DATAGRO, mesmo com uma irregularidade de chuvas em algumas áreas, com potencial de 101,93 milhões de toneladas em todo o país levando em conta as duas safras, mas abaixo do recorde da safra passada de 102,08 milhões de t. A área nas duas safras tem previsão de alta de 4% ante 2018/19, para 18,33 milhões de hectares.

“Apesar da irregularidade das chuvas e perdas na região Sul, a primeira safra de milho teve seu potencial de produção revisado e aumentado desde fevereiro para 25,72 milhões de toneladas, agora apenas 1% inferior às 26,08 milhões de t da safra passada”, afirma França.

A área de milho na 1ª safra teve leve revisão altista, para 4,42 milhões de hectares ante 4,41 milhões/ha na estimativa de março e a produtividade saltou para 5.823 kg/ha ante 5.818 kg/ha. A colheita do milho de verão atingia 78% da área esperada no Centro-Sul até o dia 27 de março, contra 69% da média.

Já na 2ª safra, a produção de milho também teve ajuste altista por conta das condições regulares até o momento, para 76,21 milhões de t ante 75,94 milhões de t da estimativa anterior, com área de 13,91 milhões de hectares sobre 13,80 milhões/ha, e produtividade de 5.478 kg/ha ante projeção de março de 5.502 kg/ha. O plantio do milho de inverno atingia 99% da área esperada no Centro-Sul até dia 27 de março, contra 98% da média.

“Por enquanto as perdas estão limitadas ao oeste do Paraná e sul do Mato Grosso do Sul, mas com a situação relativamente estabilizada com as recentes chuvas. Nas demais regiões o quadro é bem favorável”, afirma França.

Data de Publicação: 02/04/2020 às 11:30hs
Fonte: DATAGRO
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: