Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


Clima afeta produção de laranja no México e Europa

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) divulgou recentemente uma série de relatórios com análise sobre a produção de fruta e mercado de sucos de diversos países importantes. Veja a seguir o resumo do desempenho de cada mercado.

México

Vários estados produtores de citrus no México estão sofrendo com a seca que atinge os pomares desde o início da safra 2019/202 0. A estimativa é de que a produção seja de 107 milhões de caixas de 40,8kg., praticamente o mesmo volume da safra passada. Apesar disso, a expectativa dos produtores é de obter maior rendimento e uma melhor qualidade dos frutos nessa safra. De acordo com o relatório do USDA, as exportações de Citrus deverão aumentar devido à forte demanda internacional e preços atraentes do país. O Estado de Veracruz é de longe o maior produtor de laranjas do país, com 50% da área plantada e 55% da produção total.

União Europeia

A produção de citros da Europa deve atingir 245 milhões de caixas de 40,8kg na safra 2019/2020, uma redução de 12,7% em comparação com a temporada passada. A queda é puxada, principalmente, pela redução na safra da Espanha e Itália, por conta das condições climáticas desfavoráveis. De acordo com o relatório, a redução na produção pode afetar as exportações europeias e aumentar a necessidade de importação do velho continente.

Costa Rica

A estimativa para a safra 2019/2020 de laranja na Costa Rica é de 7,5 milhões de caixas de 40,8kg, de acordo com o USDA. A estimativa representa um crescimento de 2,73% em relação a safra 2018/2019, encerrada com 7,3 milhões de caixas de 40,8kg. Os Estados Unidos seguem como o principal destino do suco de laranja costa riquenho, comprando 67% do total. Importante ressaltar que o suco produzido na Costa Rica entra nos EUA com isenção de direitos sob o acordo comercial EUA-CAFTA-DR.

Egito

No Egito, as exportações de laranjas devem somar 36 milhões de caixas na safra 2019/2020. A previsão indica um recuo de 16% em relação a safra passada, quando foram exportadas 41 milhões de caixas de 40,8kg, um dos maiores volumes já exportados por aquele país. A redução se deve a problemas climáticos que impactaram a produção. Os principais destinos da fruta do Egito são Rússia, Arábia Saudita, China e Holanda.

Data de Publicação: 29/01/2020 às 18:00hs
Fonte: USDA
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: