Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


Café arábica cai mais de 150 pts nesta 2ª na Bolsa de Nova York com câmbio e oferta

As cotações futuras do café arábica operam com queda de mais de 150 pontos nesta manhã de segunda-feira (07) na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado estende as perdas dos últimos dias com atenção para a oferta e câmbio.

Por volta das 09h30, os lotes com vencimento para dezembro/19 caíam 165 pontos, a 97,35 cents/lb e o março/19 anotava 100,90 cents/lb com recuo de 165 pontos. O contrato maio/19 anotava 103,15 cents/lb com queda de 175 pontos.

No Brasil, no último fechamento, o tipo 6 duro era negociado a R$ 436,00 a saca de 60 kg em Guaxupé (MG) e em Poços de Caldas (MG) estavam valendo R$ 425,00.

Veja como fechou o mercado na sexta-feira:

Café arábica tem queda de mais de 300 pts nesta 6ª e dezembro/19 vai a 99 cents/lbp em NY

Os futuros do café arábica encerraram esta sexta-feira (04) com quedas de mais de 300 pontos na Bolsa de Nova York (ICE Futures US). O mercado assimilou nos últimos dias informações sobre o Brasil, câmbio e dados da oferta global. Na semana, houve queda de 1,88%.

O vencimento dezembro/19 teve baixa de 305 pontos, cotado a 99 cents/lb e o março/20 anotou 102,55 cents/lb com 310 pontos de perdas. O maio/20 recuou 305 pontos, a 104,90 cents/lb e o julho/20 teve desvalorização de 305 pontos, a 107,00 cents/lb.

Rodrigo Costa, diretor de trading do Grupo do Comexim, disse ao Notícias Agrícolas que operadores no mercado aguardam as floradas e chuvas. "Essa confirmação serviu para os preços caírem", disse. O câmbio também movimentou os preços nos últimos dias.

Ainda de acordo com o analista de mercado, as referências futuras para o café arábica na ICE devem permanecer entre 90 e 105 cents/ por libra-peso pelo menos até o final do ano. Operadores no terminal também aguardam as safras dos países da America central e do Vietnã.

O site internacional Barchart destacou que os futuros na ICE ainda repercutiram no dia divulgações da Colômbia. Além disso, os preços seguraram quedas mais expressivas por conta da desvalorização do dólar ante o real. Às 17h21, caía 0,80%, a R$ 4,057.

"Hoje, os preços do café estão mais baixos com sinais de maior oferta global depois que a Federação Nacional dos Produtores de Café da Colômbia informou que a produção no país em setembro aumentou 4%, para 1,1 milhão de sacas", disse o Barchart.

Ajustes também foram vistos no terminal depois de alta na véspera com a divulgação da OIC (Organização Internacional do Café) de revisão baixista, apesar de ainda apontar um superávit na safra 2018/19 global de café, com 4,05 milhões de sacas de 60 kg, diante de uma oferta de 168,87 milhões de sacas.

"O maior volume da oferta está refletido no aumento dos embarques nos onze primeiros meses do ano cafeeiro, durante os quais as exportações globais cresceram 9,2%, para 120,28 milhões de sacas, ultrapassando o volume total embarcado em 2017/18", disse a OIC.

Mercado interno

Os principais tipos de café encerram a semana com preços mistos e estabilidade em diversas praças de comercialização, apesar das oscilações externas. Segundo analistas, cafeicultores aguardam melhores patamares de preço para retornar ao mercado. Os que vão às meses, é por necessidade de caixa.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor em Guaxupé (MG) com saca a R$ 484,00 e queda de 2,02%. A maior oscilação ocorreu em Varginha (MG) com queda de 4,08% e saca a R$ 470,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 440,00 e queda de 2,22%. A oscilação mais expressiva no dia foi em Poços de Caldas (MG) com recuo de 2,25% e saca a R$ 435,00.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Araguari (MG) com saca a R$ 450,00 – estável. A maior oscilação foi em Patrocínio (MG) com desvalorização de 3,37% e saca a R$ 430,00.

Na quinta-feira (03), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 437,18 e queda de 0,03%.

Data de Publicação: 07/10/2019 às 10:16hs
Fonte: Notícias Agrícolas
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: