Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


Após duas sessões de altas, café abre com quedas técnicas para o café

Por volta das 09h11 (horário de Brasília), maio/20 tinha queda de 120 pontos, valendo 124,40 cents/lbp, julho/20 tinha baixa de 130 pontos, sendo negociado por 145 cents, setembro/20 regisrava baixa de 160 pontos, sendo negociado por 123,85 cents/lbp.

Os contratos voltam a cair após três sessões consecutivas de altas, o que é considerado normal para o mercado e movimentações de realização de lucros. As últimas altas foram motivadas não apenas por preocupações com embarque, mas principalmente pela falta de café de qualidade no mercado.

Segundo Eduardo Carvalhaes, analista do Escritório Carvalhaes, o mercado ainda caminha esperando por notícias concretas, mas a falta de café de qualidade no mercado e o próprio Coronavírus têm sustentado os preços em Nova York. "Nós vamos colher uma safra de ciclo alto agora, mas também há muita divergência do tanto que vai ser colhido e a safra que vem é de ciclo baixo", destaca.

Confira como fecharam as cotações no mercado interno:

O tipo 6 duro teve alta de 4,39% em Guaxupé/MG, valendo R$ 595,00. Poços de Caldas/MG registrou valorização de 0,86%, negociado por R$ 585,00.Araguarí/MG teve valorização de 5,36%, estabelecendo os preços por R$ 590,00. Varginha/MG teve alta de 1,77%, valendo R$ 575,00.

O tipo cereja descascado subiu 4,92% em Guaxupé/MG, valendo R$ 640,00. Patrocínio/MG teve alta de 4,17%, valendo R$ 625,00. Poços de Caldas/MG registrou valorização de 1,54%, valendo R$ 660,00.

O tipo 4/5 teve valorização de 0,85% em Poços de Caldas/MG, valendo R$ 595,00. Varginha/MG subiu 1,74%, negociado por R$ 585,00 e Franca/SP manteve a estabilidade por R$ 620,00.

Data de Publicação: 25/03/2020 às 10:10hs
Fonte: Notícias Agrícolas
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: