Culturas Florestais

Choque térmico nos frutos de açaí e cipó-alho para dieta de alevinos de pirarucu são destaques no aniversário da Embrapa

As tecnologias da Embrapa Amapá foram selecionadas para o site comemorativo


Publicado em: 04/05/2021 às 12:40hs

Choque térmico nos frutos de açaí e cipó-alho para dieta de alevinos de pirarucu são destaques no aniversário da Embrapa

Em comemoração ao aniversário de 48 anos da Embrapa, foi lançada em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, 27/04, a página https://www.embrapa.br/48-anos , que apresenta o balanço social 2020, a plataforma de ensino e-campo, publicações e destaques de tecnologias.  A Embrapa Amapá está contemplada na página com a publicação "Recomendação do cipó-alho (Mansoa alliacea) na dieta de alevinos de pirarucu para melhoria do crescimento e imunidade", de autoria do pesquisador Marcos Tavares Dias e Marcia Kelly Reis Dias; está ainda como destaque de tecnologia com o Choque térmico nos frutos do açaí para inativação do protozoário Trypanosoma cruzi e outros agentes patogênicos, tecnologia coordenada pela pesquisadora Valeria Saldanha Bezerra.

A página destaca também no link do Balanço Social, em reconhecimento da sociedade, o Prêmio Internacional para os pesquisadores mais influentes do mundo, reconhecido pela Universidade de Standford, com 17 pesquisadores de 12 Unidades da Embrapa, dentre os quais está o pesquisador da Embrapa Amapá, Marcos Tavares.    

O choque térmico nos frutos de açaí, para inativar microorganismos causadores de diversas doenças – incluindo a doença de Chagas, é uma prática recomendada pela Embrapa Amapá que consiste em mergulhar os frutos de açaí na água aquecida à temperatura entre 80°C a  90°C durante dez segundos. Logo depois, os frutos devem ser resfriados em outro tanque com água com temperatura ambiente, por dois minutos. “Com esse procedimento e as demais etapas das boas práticas, vários agentes causadores de doenças são eliminados”, destaca a pesquisadora Valeria Saldanha Bezerra.

O choque térmico é uma das etapas das Boas Práticas de Fabricação do açaí, deve ser aplicado na fase da higienização e preparação dos frutos em batedeiras familiares, comerciais ou na indústria. O processo das BPFs começa desde a colheita, passando pelo transporte, armazenamento e comercialização. “Quando os frutos de açaí são entregues na batedeira, antes mesmo do choque térmico, devem passar pela mesa catadora na qual é feita a retirada de sujidades e insetos, entre eles o barbeiro inteiro ou partes dele, que pode estar contaminado com o protozoário causador da doença de Chagas, e contaminar o açaí batido e o consumidor”, esclarece Bezerra.

Estudos da Embrapa Amapá comprovam ainda que o choque térmico de 80 ºC a 90 ºC não altera as propriedades sensoriais do açaí, como sabor, cheiro e coloração; e revelam a valoração de 95,5% do açaí pelos consumidores, significando que gostaram muito à extremamente da bebida. “Os consumidores tradicionais da bebida aceitaram o produto processado após choque térmico dos frutos, descrevendo-o com características positivas e expressando a efetiva intenção de compra do produto, contrapondo a alegação de algumas pessoas de que esse tipo de sanitização leva a alterações perceptíveis ao consumidor tradicional de açaí, causando um reflexo negativo na venda do produto”, concluiu a pesquisadora.

A pesquisadora Valeria Bezerra ressalta o empenho da equipe da Embrapa envolvida nos estudos, entre pesquisadores, assistentes, técnicos, bolsistas e estagiários, como também batedores de açaí. E acrescenta: “A recomendação da Embrapa resulta ainda de esforços realizados em parceria com equipes do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA), Sebrae Amapá, Sebrae Pará, órgãos do Sistema S (Senai, Sesc, Sesi, Senac, Sest, Senar), dentro do Programa Alimentos Seguros; além da Universidade Federal do Pará, Embrapa Amazônia Oriental (Pará), Fundação de Amparo à Pesquisa do Amapá”.

Fonte: Embrapa

◄ Leia outras notícias