Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Mercado está atento à demanda chinesa para América do Sul

“As atenções do mercado fora dos EUA, especialmente dos exportadores da América do Sul, Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, está inteiramente voltada para a demanda chinesa, como é natural”. A afirmação é do analista Luiz Fernando Pacheco, da T&F Consultoria Agroeconômica, para quem o crescimento de mais de 300% dos prêmios para os portos sulamericanos nesta semana indicam a volta da preferência dos compradores chineses por soja.

“Não se sabe, porém, a extensão da alta que os prêmios poderão tomar. Será preciso redobrar a atenção à movimentação do mercado daqui para a frente, para não perder as melhores oportunidades. Num dia em que houver prêmios altos e dólar alto, será um bom momento para vender mais alguns lotes”, explica Pacheco.

Embora os prêmios tenham subido muito nos portos brasileiros, os preços finais a serem pagos para os vendedores, por enquanto, subiram pouco, algo ao redor de R$ 1,50/saca apenas, para a média de R$ 70,00/saca nos estados do Sul ou seu equivalente em outros estados. Embora os prêmios tenham subido mais do que as cotações, houve queda no dólar, que freou a alta dos preços.

NÚMEROS DO USDA

“O relatório do USDA desta sexta-feira (10.05) é francamente negativo para os preços, principalmente para cotações na Bolsa de Chicago, mas o mercado está totalmente voltado para a disputa comercial entre EUA e China e suas consequências sobre o mercado físico, com queda na demanda (prêmios) de soja americana e aumento na demanda (forte elevação dos prêmios) por soja da América do Sul”, sustenta o analista da T&F.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 16/05/2019 às 10:00hs
Fonte: Agrolink
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: