Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Liberação de exportações pelo Paquistão, queda do petróleo e alta do dólar pressionam cotações do açúcar

O governo do Paquistão liberou ontem a exportação de 1,1 milhão de toneladas de açúcar pelas indústrias paquistanesas, retirando algumas condições impostas há dois meses que não permitiam, dentre outras restrições, que indústrias que tinham dívidas não pagas exportassem seu adoçante.

Esta ação do Paquistão, aliada à queda dos preços internacionais do petróleo e a valorização do dólar pressionaram, segundo análise do jornal Valor Econômico de hoje (6), as cotações do açúcar nas bolsas internacionais nesta quarta-feira.

Em Nova York, no vencimento março/19, a commodity fechou desvalorizada 3 pontos, com negócios em 12.72 centavos de dólar por libra-peso. O vencimento maio/19 fechou em baixa também de 3 pontos, cotado a 12.83 cts/lb. As demais telas caíram entre 3 e 8 pontos.

O açúcar branco de Londres também desvalorizou na maior parte das telas. No vencimento março/19, a commodity foi comercializada a US$ 343,50 a tonelada, queda de 80 cents de dólar no comparativo com a véspera. A tela parra maio/19 caiu 60 cents de dólar, com negócios em US$ 348,50 a tonelada.

Mercado interno

No mercado doméstico, o indicador Cepea/Esalq para o açúcar cristal em São Paulo fechou ontem em R$ 68,54 a saca de 50 quilos, baixa de 0,36% no comparativo com a véspera.

Etanol hidratado

Já o etanol hidratado, segundo os índices da Esalq/BM&F, teve sua quinta alta consecutiva, com o metro cúbico negociado a R$ 1.753,00, valorização de 0,26%.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 06/12/2018 às 11:10hs
Fonte: Agência UDOP de Notícias
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: