Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Identificadas variedades de arroz geneticamente impuras

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade Nacional da Colômbia (ONU) com sede Palmira, identificaram algumas variedades de arroz que são consideradas geneticamente impuras. De acordo com Lenin Alonso Rodriguez Betancourth, o Mestre de Ciências Agrárias da Universidade, os erros no processo de melhoramento de plantas ou produção de sementes vir a causar mau desempenho.

"Para produzir uma linha de plantas de arroz selecionados nós procuramos obter a resistência a doenças, tolerância a fatores abióticos ou aumento no desempenho, entre outros. Plantas originárias de cruzamentos são melhores selecionadas, suas sementes são removidas e replantadas em um processo que é repetido sete vezes para ganhar na linha de pureza genética e, portanto, padronizar suas características ", diz o pesquisador

Segundo ele, alguns dos fatores que podem causar a perda de características de interesse alcançado em variedades de arroz, após anos de pesquisa, estão associados com o uso de sementes erradas, imprecisões ao nomear cultivares e polinização cruzada. O pesquisador explica ainda que esse processo corre quando plantas de uma cultura são cruzadas com outras próximas ao invés de autopolinizadas.

As linhas agora serão enviadas para diferentes países, onde os criadores de plantas os plantam para avaliar sua resposta às condições climáticas e seu potencial frente às práticas culturais e de mercado do consumo de arroz na região. Após este processo de avaliação e seleção, as linhas são liberadas como variedades e entregues aos produtores.

"Muitas das realizações deste processo, em termos das características das plantas, são perdidas quando o material genético é contaminado. Se eu não sei o que estou plantando e se as plantas que eu cultivo não têm características semelhantes umas às outras, elas não podem cumprir os propósitos para os quais as variedades foram criadas”, conclui.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 17/12/2018 às 08:00hs
Fonte: Agrolink
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: