Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio


e-Campo registra mais de 170 mil inscrições para cursos on-line da Embrapa

Em pouco mais de dois meses, a oferta gratuita de cursos on-line pela Embrapa superou a marca das 170 mil inscrições, o que representa 80% do total registrado desde 2018, ano de criação da vitrine e-Campo, em que as capacitações são disponibilizadas. O crescimento no número de inscritos foi acompanhado de alto índice de satisfação dos 23 cursos já disponibilizados e avaliados com notas de 8 a 10 por 90% dos participantes. Seguem abertas vagas para nove cursos com média de 12 horas/aula e direito a certificado.

“O sucesso do serviço oferecido atesta a pertinência da iniciativa de ampliação do acesso aos conhecimentos produzidos pela pesquisa pelos meios digitais nesse momento de isolamento social. É também uma demonstração de como a reputação da Embrapa junto à sociedade vem sendo construída ao longo dos anos, tanto no campo como nas cidades”, afirma o secretário de Inovação e Negócios (SIN), Gustavo Xavier. E completa: "há perspectivas de incluir abordagens metodológicas para o monitoramento e impacto destas ações, retroalimentando o Macroprocesso de Inovação".

Por meio da Gerência de Acesso a Mercados (GAM), a SIN coordena o e-Campo, que reúne os conteúdos elaborados por equipes técnicas de centros de pesquisa da Empresa. Os cursos abordam temáticas variadas, envolvendo diversas cadeias produtivas e são destinados também ao público urbano. Segundo o gerente da GAM, Alessandro Cruvinel, um levantamento recente revelou que 60% dos inscritos nas capacitações oferecidas nos últimos meses são estudantes, 15% do público é constituído por produtores, 10% são profissionais de assistência técnica e extensão rural pública e privada e 8% vêm da comunidade científica. "As capacitações têm ultrapassado fronteira, registramos 300 participantes de 20 países diferentes. Um indicativo para um próximo passo que é a oferta de conteúdos bilíngues", avalia.

A qualidade dos conteúdos oferecidos em linguagem simples, adequada à modalidade a distância e aos públicos de interesse têm resultado em altos índices de satisfação. De acordo com levantamento realizado esta semana, 96,46% afirmaram que se sentem motivados a participar de outras capacitações on-line da Embrapa. Outros 92% dizem ter adquirido conhecimentos que ajudarão a melhorar o desempenho no trabalho e 90,43% sentem-se capazes de compartilhar o que aprenderam.

Cursos ofertados

Noções básicas de empreendedorismo e Produção e tecnologia de sementes e mudas são as capacitações recentemente incluídas no e-Campo. No momento, a plataforma conta com cursos ofertados pela SIN e por 11 centros de pesquisa da Embrapa: Milho e Sorgo, Gado de Leite, Suínos e Aves, Agrobiologia, Agroenergia, Agroindústria de Alimentos, Caprinos e Ovinos, Hortaliças, Meio Ambiente, Semiárido e Informática Agropecuária.

Também estão sendo abertas vagas para as capacitações em Tecnologias para Agricultura de Baixo Carbono, Sistema de Plantio Direto, Avaliação Econômica de Sistemas Agropecuários, Fertirrigação, Recuperação de Pastagens Degradadas, Uso de drones no mapeamento de florestas nativas na Amazônia e Introdução a Sistemas Integrados de Lavoura-Pecuária-Floresta. Entre os mais procurados estão: Hortas em pequenos espaços e Meliponicultura (criação de abelhas sem ferrão), que constam da lista dos cursos ativos na vitrine e-Campo.

Abelhas

A procura pela capacitação na atividade de criação de abelhas sem ferrão oferecida pela primeira vez na semana do meio ambiente, em junho, na modalidade a distância, surpreendeu os organizadores. As sete mil vagas inicialmente disponibilizadas esgotaram-se em três dias, obrigando a ampliação para 15 mil, preenchidas em dez dias, como conta o pesquisador Cristiano Menezes, da Embrapa Meio Ambiente responsável pelo curso ministrado em parceria com a Associação Brasileira de Estudos das Abelhas (A.B.E.L.H.A). Em julho, outras 15 mil vagas serão ofertadas.

Nos últimos três anos, atuando na organização de cursos presenciais que comportam turmas de no máximo 40 pessoas, o especialista tem identificado o crescente interesse pela criação de abelhas. “Na primeira experiência com a realização de um curso presencial abrimos 80 vagas, em Brasília/DF, esgotadas em uma semana. Recebemos gente do Brasil todo”, relata.

Empatia

Para o especialista, a empatia gerada para com as abelhas se expandiu com a divulgação do papel das polinizadoras na manutenção da biodiversidade e sustentabilidade de cultivos alimentares inclusive, bem como as desastrosas consequências da morte massiva de colmeias mundo afora. Embora o curso tenha atraído produtores que buscam multiplicar colônias e vender as filhas como forma de ampliar negócios e fontes de renda, os inscritos na capacitação são majoritariamente iniciantes e do meio urbano.

“Cresce o número de pessoas que criam abelhas em casa como se fosse um pet. Elas são bonitinhas, adaptadas ao ambiente urbano, produzem mel saboroso e proporcionam a sensação de engajamento em causas ambientais - ainda que a Jataí não seja uma espécie em risco”, argumenta Menezes. Para ele, a aproximação com as abelhas tem representado benefício no hábito das pessoas, que passam a ter um olhar diferenciado para com as plantas ao redor, para com o consumo de alimentos e a produção de lixo, criando uma relação mais amistosa e saudável com o meio ambiente.

A capacitação tem carga horária de 12h, distribuídas em quatro módulos em que o participante vai aprender sobre a diversidade das abelhas presentes no Brasil e a biologia geral das abelhas sem ferrão e organização das colônias, além de obter instruções sobre os caminhos para seguir na atividade, bem como conhecer técnicas de criação das abelhas. O inscrito terá 30 dias para conclusão do curso, a partir da data de sua inscrição.

Acesse aqui avitrine e-Campo para conhecer detalhes sobre os cursos ativos e fazer a inscrição.

Data de Publicação: 23/06/2020 às 14:50hs
Fonte: Secretaria de Inovação e Negócios (SIN)
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: