Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Café: Cotações do arábica operam com leve alta nesta manhã de 3ª na Bolsa de Nova York

Os futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) operam com leve alta nesta manhã de terça-feira (08) e estendem ganhos. O mercado segue em ajustes depois de quase perder o patamar de US$ 1 por libra-peso nos últimos dias.

Por volta das 09h26 (horário de Brasília), o vencimento março/19 operava com alta de 35 pontos, cotado a 103,10 cents/lb e o maio/19 anotava 106,10 cents/lb com avanço de 35 pontos. Já o julho/19 tinha valorização de 30 pontos, a 108,85 cents/lb.

No Brasil, no último fechamento, o tipo 6 duro era negociado a R$ 403,00 a saca de 60 kg em Guaxupé (MG) e em Poços de Caldas (MG) estavam valendo R$ 392,00.

Veja como fechou o mercado na sexta-feira:

Café: Em ajustes, Bolsa de Nova York encerra sessão desta 2ª com altas de mais de 100 pts

Os contratos futuros do café arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) encerraram a sessão desta segunda-feira (07) com alta de mais de 100 pontos. O mercado realizou ajustes técnicos ante a queda da sessão anterior e teve suporte do câmbio em parte do dia.

O vencimento março/19 fechou o dia com alta de 115 pontos, a 102,75 cents/lb e o maio/19 teve avanço de 110 pontos, a 105,75 cents/lb. O julho/19 registrou 108,55 cents/lb com valorização de 105 pontos e o setembro/19 registrou 111,30 cents/lb e 100 de ganhos.

Depois de fechar a sessão anterior com queda de cerca de 50 pontos e quase perder o patamar de US$ 1 por libra-peso no vencimento referência, o mercado externo do arábica passou por ajustes técnicos durante o dia. Além disso, em parte da sessão, os preços seguiram o câmbio.

"O real saltou para a alta de 2 meses contra o dólar esta manhã, o que é positivo para o café, uma vez que desencoraja as exportações dos produtores de café do Brasil. Outro fator de apoio ao café é a preocupação da safra brasileira", noticiou o site internacional Barchart.

O dólar chegou a trabalhar em baixa durante o dia e deu suporte ao café. No entanto, no fim dos trabalhos, fechou a R$ 3,7350 com alta de 0,53%, depois de atrair movimento comprador e de olho no mercado internacional. Na mínima, a moeda chegou a R$ 3,6907 e na máxima testou R$ 3,7350.

Apesar da alta, operadores externos seguem atentos às informações sobre a safra 2018/19 do Brasil, que tem estimativas em cerca de 60 milhões de sacas de 60 kg. Além disso, preocupações com a próxima temporada já aparecem devido às condições do tempo.

O Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da Esalq/USP), no entanto, acredita em mais um ano de safra alta. "Mesmo com a bienalidade negativa do arábica, o clima tem auxiliado o desenvolvimento das plantas, o que pode aumentar a produtividade", destacou o centro.

Mercado interno

O mercado brasileiro de café segue com negócios isolados neste início de ano com produtores atentos aos preços externos do grão. Já se espera que a próxima safra do grão seja de alta produção no país e novas baixas podem ser vistas nas praças físicas.

O café tipo cereja descascado registrou maior valor de negociação em Poços de Caldas (MG) com saca a R$ 432,00 – estável. A maior oscilação no dia dentre as praças ocorreu em Guaxupé (MG) com alta de 0,47% e saca a R$ 430,00.

O tipo 4/5 registrou maior valor de negociação em Franca (SP) com saca a R$ 425,00 e alta de 2,41%. Foi o maior valor de negociação dentre as praças.

O tipo 6 duro registrou maior valor de negociação em Vitória (ES) com saca a R$ 442,00 e estabilidade. A maior oscilação ocorreu em Poços de Caldas (MG) com recuo de 1,25% e saca a R$ 395,00.

Na sexta-feira (04), o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, teve a saca de 60 kg cotada a R$ 407,57 e alta de 0,22%.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 08/01/2019 às 10:50hs
Fonte: Notícias Agrícolas
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio Desenvolvido por: