Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

As chuvas estão chegando: como tirar o máximo proveito dessa época?

O tão esperado período chuvoso está chegando, e com ele os pastos verdes e o aumento de peso dos animais. Mas, será que estamos devidamente preparados para usufruir os ganhos produtivos e econômicos que as chuvas podem nos proporcionar? Apesar de ser uma época favorável para a atividade pecuária, diversos problemas podem surgir com a chegada das águas e precisamos nos planejar para enfrenta-los e maximizar os resultados.

Antes de mais nada é necessário pensar na oferta e a capacidade de suporte dos pastos, para não faltar e nem sobrar forragem. Isso ainda é um dos calcanhares de Aquiles da pecuária brasileira e merece muita atenção.

Um segundo ponto, também fundamental, é garantir a oferta e consumo adequado dos suplementos, especialmente do famoso “sal mineral”. Independente da categoria do animal, ou seja, vaca de cria, bezerro, garrote ou boi gordo, a necessidade da correta suplementação é mais crítica na época das chuvas. Ao contrário do que muitos ainda pensam, os animais precisam mais dos minerais durante o período de chuvas do que na seca. Sabe por quê? Porque com pasto em quantidade e qualidade, o potencial de ganho de peso ou de restabelecimento de condição corporal aumenta nessa época.

Assim, quanto maior o potencial de ganho, maior a exigência dos animais por minerais. Porém, nem sempre conseguimos adequar o consumo para atender as necessidades nutricionais dos bovinos a pasto. Isso porque diversos fatores poder interferir tanto na oferta do mineral, quanto no consumo pelos animais, como por exemplo: as condições das estradas pioram, dificultando o acesso aos pastos e cochos para a realização da salga; as estruturas dos cochos em sua grande maioria são descobertas, favorecendo a ação da umidade e da chuva que incide no produto; vários dias seguidos de chuva que dificultam o manejo.

Foi pensando em soluções para minimizar as dificuldades e potencializar os ganhos, que a Nutron, marca de Nutrição Animal da Cargill, desenvolveu a linha Probeef® RESIST™ - suplementos minerais para vacas em reprodução e animais em recria/engorda. Seu grande diferencial é a tecnologia SAWT (Superior All-Weather Technology) que permite a passagem de água ou de umidade pelo produto sem afetar sua apresentação, ou seja, mesmo sob chuva o suplemento mantém sua forma original, não empedrando ou formando aquela conhecida pasta no cocho. E, claro, mantendo sua composição mineral praticamente intacta.

A proteção, no entanto, se desfaz no rúmen dos animais, garantindo solubilidade e biodisponibilidade dos minerais para os animais. Os produtos da linha Probeef® RESIST™ contém aditivos alimentares que potencializam ainda mais os ganhos zootécnicos e otimizam o retorno econômico.

Os suplementos da Linha Resist podem ser fornecidos apenas uma vez por semana, o que representa um ganho significativo na rotina da fazenda em áreas com muita chuva e dificuldade logística. Além disso, o fato de manter sua integridade mesmo após molhado ou umedecido garante o correto consumo do suplemento pelos animais, especialmente no período de maior disponibilidade de pasto e, portanto, de maior potencial de ganho de peso.

Trabalhos científicos realizados no Brasil provam que os suplementos minerais que empedram ou empastam no cocho são menos consumidos pelos animais, ocasionando desempenho até 15% inferior. Isso significa perda dupla, tanto no desperdício de suplemento mineral quanto no desempenho em ganho de peso ou número de bezerros por vaca/ano. Em contrapartida, fazendas que já utilizam a linha Resist notaram ganho médio adicional de 150g por dia em animais de recria e 240g/dia na engorda.

Garantir o consumo adequado dos suplementos no período das águas é a chave para que tenhamos animais mais saudáveis e produtivos. Ganhos indiretos também devem ser contabilizados, como redução da frequência de “salgar os cochos” com a linha Resist, o que permite economizar em mão de obra e gastos com maquinários (óleo diesel, manutenção, etc); e menor investimento em estruturas físicas já que não há necessidade de ter cochos cobertos. Estes ganhos podem ser direcionados para o produto em si, trazendo retorno imediato.

Em anos mais difíceis, precisamos ser ainda mais eficientes para obtermos o retorno esperado do capital investido. A Cargill dispõe de técnicos capacitados e prontos para realizar atendimentos especializados e, dessa maneira, potencializar o lucro de cada pecuarista.

Por Pedro Veiga e João Danilo Ferreira, Consultores Técnicos de Bovinos de Corte da Cargill Nutrição Animal

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 11/10/2018 às 09:00hs
Fonte: Cargill
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: