Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

Um milhão de toneladas de alimentos frescos foram rastreados em supermercados no Brasil nos últimos 5 anos, segundo a ABRAS

Um milhão de toneladas de Frutas, Legumes e Verduras (FLV) foram monitorados em redes varejistas no Brasil, em cinco anos, de acordo com o 1º Balanço do Programa de Rastreabilidade e Monitoramento de Alimentos (RAMA). Os dados foram divulgados pela ABRAS, no dia 22 de fevereiro, em São Paulo. A análise tem objetivo de promover a segurança alimentar e garantir a origem do produto à população. A PariPassu, com sede em Florianópolis (SC), é a coordenadora técnica do Programa RAMA e responsável por operacionalizar o sistema que atua no processo de rastreabilidade e monitoramento. Durante o evento da ABRAS, a empresa foi reconhecida pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), como um dos destaques que contribuem para o sucesso do programa.

“A rastreabilidade tem tido avanços em vários estados. E, sendo reconhecida por uma entidade nacional como a ABRAS, abre portas para que o segmento tenha destaque e traga ainda mais benefícios ao consumidor. A proposta que a FAO vinha desenvolvendo e agora está consolidada é levar o programa para todos os estados do Brasil e também outros países, especialmente na América do Sul e na África, onde não têm trabalho dessa natureza”, ressaltou o oficial da Unidade de Coordenação de Projetos da ONU/FAO para o sul do Brasil, Carlos Biasi.

Segundo o diretor comercial da empresa, Giampaolo Buso, o programa coloca supermercados e produtores em um nova fase, assumindo a responsabilidade no consumo seguro. “Nós buscamos a redução no uso de agrotóxicos em hortifrútis e para isso é necessária a participação de todos os membros da cadeia. Hoje, cerca de 80% das vendas de hortifrutis são realizadas nos supermercados, portanto, quanto mais evoluirmos na adesão de supermercadistas, fornecedores e produtores, maior será a rede de abrangência”, explicou.

Edson Trebeschi, produtor de tomates de Araguari (MG) com atuação nos Estados de Goiás, São Paulo e Santa Catarina, explicou que o Programa Rama, além de promover a identificação da origem dos alimentos, atua como uma importante ferramenta de gestão para o próprio produtor, ajudando a manter um modelo nacional de uso racional de agroquímicos na plantação.

O 1º Balanço do Programa de Rastreabilidade e Monitoramento de Alimentos (RAMA) apresentou resultados acerca dos FLVs comercializados no Brasil:

• 1 milhão de toneladas de alimentos foram rastreados em cinco anos de programa;
• Há 34 redes varejistas participantes, que faturaram cerca de R$ 64 bilhões em 2014;
• Cerca de 12,8 mil check-outs foram feitos;
• Total de 290 produtos rastreados, desde 2012, com informação de campo até o ponto de venda, por meio do código de rastreabilidade;
• Conta com o monitoramento para 81 tipos de produtos amostrados, enquanto o programa PARA, da Anvisa, estabelece obrigatoriedade para apenas 25 itens;
• Hoje são 3 associações estaduais atuantes: ACATS, ASES e ASSURN, com mais 7 em processo de adesão (APAS, ASSERJ, ACESU, ASMAT, ASPAS, ASBRA e AMAS);
• Total de 1.457 amostras realizadas entre 2011 e 2015, utilizando o conceito de Cobertura Coletiva com compartilhamento de dados.

O balanço completo e mais informações podem ser conferidas no site do Programa RAMA (http://abras.com.br/rama/).

Análise das Amostras

As amostras são coletadas em diversas partes do país pela PariPassu e encaminhadas para o laboratório Eurofins, que faz a análise. O processo no laboratório consiste na extração das substâncias, separação química e detecção dos agrotóxicos a fim de verificar os índices de pesticidas. “Os resultados, emitidos em até sete dias a partir do recebimento das amostras, também ajudam a formar uma base estatística e históricos de diagnósticos. Este trabalho auxilia que produtores estejam em conformidade com a lei, aumentando a segurança do alimento ao prestar informações corretas para os consumidores”, explicou a coordenadora de serviços analíticos da Eurofins, Mariana Ratti Doro.

Adesão da Rede Varejista

O RAMA conta com 34 redes supermercadistas participantes, que representam mais de 20% das vendas de FLV comercializado pelo setor no Brasil. O programa ainda deve abranger todos os estados do país por meio de ações com 27 Associações Estaduais de Supermercados. Hoje, três associações estaduais afiliadas a ABRAS atuam no RAMA: Associação Catarinense de Supermercados (ACATS), Associação Sergipana de Supermercados (ASES) e Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte (ASSURN). E há mais sete em processo de adesão (APAS, ASSERJ, ACESU, ASMAT, ASPAS, ASBRA e AMAS).

O presidente da ASES, João Luiz Oliveira, comentou que esta participação indica que os supermercadistas não estão pensando apenas no retorno financeiro, mas também estão preocupados em entregar qualidade para o consumidor. “Temos ainda a preocupação em desenvolver pequenos e médios produtores da região”, disse Oliveira.

Imprensa:
Enviar matéria
Data de Publicação: 04/03/2016 às 13:15hs
Fonte: Dialetto Comunicação Estratégica
◄ Leia outras notícias
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: