Olá, Visitante Entre Cadastre-se EAD

Portal do Agronegócio

A rotação de culturas favorece o sistema produtivo e, entre outros benefícios, reduz a incidência de pragas, doenças e plantas daninhas e promove condições para o aumento da produtividade da lavoura, podendo agregar um acréscimo de até 30%. O gerente nacional de pesquisa e desenvolvimento da Satis, Aedyl Lauar, destaca que o milho é a melhor alternativa no caso de rotação com a soja porque promove uma melhoria no solo. Além disso, com a prática há um impacto positivo na rentabilidade das lavouras de soja, principalmente quando as condições climáticas não são favoráveis.

O profissional aponta três opções de produtos oferecidos pela empresa que podem contribuir no cultivo do milho e, consequentemente, no processo de rotação. Formulado com nutrientes, o Vitakelp é voltado ao tratamento de sementes, dando maior vigor de germinação e melhor enraizamento inicial. Fonte de fósforo enriquecido com extrato de algas, o Sturdy pode ser aplicado na fase vegetativa (V4 a V6). Este produto ajuda no desenvolvimento da planta e aproveitamento dos nutrientes do solo, estimulando o desenvolvimento da raiz e da parte aérea. Já o Fulland auxilia no manejo de doenças. Ao melhorar o fortalecimento fisiológico, este fertilizante atua na sanidade da planta, especialmente contra a incidência de fungos e bactérias.

“Além de favorecer a qualidade do grão e os resultados efetivos da lavoura, os três produtos beneficiam indiretamente a preservação da área de plantio. Entre as principais vantagens estão o fortalecimento e melhor desenvolvimento do sistema radicular da planta, que, por sua vez, capta água e nutrientes presentes em camadas mais profundas do solo, reduzindo assim as perdas provocadas pelas condições adversas do clima”, comenta Aedyl Lauar.

Confira a entrevista:

- Qual a importância da rotação de culturas para o plantio da soja?
Dentre os princípios básicos da agricultura, a rotação de cultura tem importância relevante, pois beneficia enormemente o sistema produtivo, reduzindo fontes de inóculos, pragas e plantas daninhas, além de favorecer o perfil estrutural do solo por apresentar sistema radicular diferente e fornecer palhada para o sistema.

- Pode nos dar exemplos de números de rentabilidade em lavouras de soja com e sem rotação de culturas?
As diferenças acontecem a médio prazo, variando entre 10 a 30 % de rentabilidade, principalmente nos anos onde as condições climáticas são mais desfavoráveis.

- Mesmo com a baixa rentabilidade do milho, a safrinha traz benefícios para o produtor pelo impacto positivo no solo para depois plantar soja?
Perfeitamente. O milho ainda é uma excelente opção para o manejo de rotação, pois promove ao sistema produtivo inúmeros benefícios, como, por exemplo, a excelente palhada produzida pela cultura.

- O que a Satis oferece para melhorar o rendimento da lavoura de milho?
Trabalhamos principalmente estimulando as plantas a desenvolverem um sistema radicular vigoroso, para enfrentar melhor as adversidades climáticas, bem como no auxílio do manejo fitossanitário.

- Por que o milho é a melhor alternativa para a rotação com a soja?
Porque além de ter uma certa rentabilidade, a planta de milho promove uma melhoria enorme no sistema solo – planta.

- Como está o plantio da safrinha de milho? Há previsão de queda de produção em relação ao ciclo anterior?
Em algumas regiões, o plantio foi efetuado fora da época ideal, portanto pode haver uma menor produtividade. Outras nem conseguiram plantar a safrinha devido ao atraso no plantio da soja.

Leia outras entrevistas
Imprensa:
Enviar matéria
Portal do Agronegócio © Copyright 2013 Portal do Agronegócio. Desenvolvido por: